Com o vocalista original, André Matos, Viper vai tocar os dois primeiros discos na íntegra

Metaleiros já têm 25 anos de estrada

Na segunda metade dos anos 1980, enquanto o BRock dominava o mainstream com suas bandas politizadas ou engraçadinhas, uma terceira via corria por fora e começava a inscrever o nome do Brasil no cenário do rock pesado internacional.

Nessa leva, estavam cinco garotos cabeludos, na faixa dos 16 anos, que reforçariam a coluna do meio ao inaugurar o metal melódico no país sob o nome Viper. No sábado, parte desses já-não-tão-garotos se apresenta em Porto Alegre, comemorando os 25 anos de seu bem-sucedido levante metalizado.

Inspirados por Iron Maiden, Judas Priest e Helloween, os amigos André Matos (vocal), Pit Passarell (baixo), Cassio Audi (bateria), Felipe Machado e Yves Passarell (guitarras) formaram o Viper em 1985, mesmo ano em que o Rock in Rio apresentou o heavy metal ao grande público. Dois anos depois, gravaram o primeiro disco, Soldiers of Sunrise, que não negava suas influências de heavy metal clássico, mas já apontava para outros caminhos.

– Ouvindo hoje, fica claro que a produção poderia ser melhor, mas a força daquelas composições, muito por conta da junção dos talentos do André e do Pit, é evidente – analisa o guitarrista Felipe Machado.

O estouro internacional viria em 1989, com o segundo álbum, Theatre of Fate. No mesmo ano em que Sepultura e Ratos de Porão ganhavam a Europa e os EUA, o Viper criava o metal melódico brasileiro. Recheado de cordas e com direito a uma versão de Moonlight Sonata, de Beethoven, o álbum foi sucesso absoluto no Japão.

– Mas aqui fomos massacrados, é verdade – brinca Machado. – Diziam que não era rock, que era pretensioso demais. Bom, talvez fosse mesmo, mas outras bandas fizeram bem pior depois. Mas não nos culpem, por favor – diz Machado.

Depois de Theatre, Matos sairia do Viper (logo formaria o Angra), e a banda mudaria novamente de personalidade, lançando novos trabalhos até 1997, quando diminuiu as atividades. Em 2007, voltou com um novo álbum de inéditas, All My Life, e, neste ano, incorporou o antigo vocalista para comemorar suas bodas de prata.

A formação que tocará no Teatro CIEE (Dom Pedro II, 861) tem, além de Machado, Pit e Matos, Hugo Mariutti (guitarra) e Guilherme Martin (bateria) e tocará os dois primeiros discos na íntegra. A abertura será das bandas Phornax e Scelerata. Os ingressos custam R$ 50 (mezanino/camarote, 1º lote) e R$ 90 (plateia, 2º lote). A casa abre às 19h.

Fonte: http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/cultura-e-lazer/segundo-caderno/noticia/2012/07/com-o-vocalista-original-andre-matos-viper-vai-tocar-os-dois-primeiros-discos-na-integra-3826166.html

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s