2002/09/14 – SHAMAN – Via Funchal/SP – 14/09/2002.

SHAMAN – Via Funchal/SP – 14/09/2002.
Texto e foto: Júlio César Bocáter.
Com muita expectativa, a comunidade Heavy esperava por este show em São Paulo. Todos sabem da competência do Shaman, assim como dos seus integrantes e seus currículos. Mas o que a turma de André Matos iria aprontar desta vez? O Glory Opera abriu a noite e foi uma das maiores recepções que uma banda de abertura teve nos últimos tempos. Afinal, além de serem da longínqua Manaus, a banda é excelente! Suas músicas próprias são ótimas e a banda conquistou a audiência com covers inesperados como March Of Time do Helloween e Of Sins And Shadows do Symphony-X! Esta levou ao delírio os mais de quatro mil presentes, foi um êxtase! Ou seja, apesar do set curto, o Glory Opera detonou! Após alguns minutos, entra o Shaman em cena. O som estava impecável, a iluminação soberba e os músicos, dispensam comentários. A introdução própria da banda, que é uma faixa de fato, Ancient Winds, arrepiou a todos, seguida de Here I Am, mostrando todo o peso e uma verdadeira explosão de fogos. Na seqüência, Distant Thunder, que tem o mesmo efeito de Hellion/The Electric Eye do Judas Priest, influência cada vez mais latente na banda. Time Will Come já é clássica, assim como For Tomorrow. Mas os pagantes queriam ouvir Angra, então tome Lisbon e a Speed Wings Of Reality. Em meio a isso, aparece Hugo fazendo um solo perfeito, passando a bola para Ricardo Confessori. Solos em shows são muitas vezes chatos, mas os de Ricardo são imperdíveis. Em meio a seu solo, a base de sua bateria começa a subir até chegar 6 metros de altura, com a cara do xaman da capa do CD! E enquanto ele solava (quase encostando a cabeça nos canhões de luz em cima), começam mais efeitos pirotécnicos em volta de seu kit! Fantástico! Retomando ao Shaman, Blind SpellOver Your Head, bem recebidas também. Era hora do solo de piano de Andre, que por sinal, como está cantando! Começa o tema do Boris da novela O Beijo Do VampiroFairy Tale, invocando os isqueiros acesos. Mais Angra? A matadora Nothing To Say, seguida da mais Helloween do Shaman, Pride. A banda sai e retorna com Ritual, talvez a melhor do show! Demolidora! Depois veio a cover Burn do Deep Purple, que ficou boa e inusitada. Andre dedica a muitos amigos presentes a lendária Living For The Night do Viper, servindo de nostalgia 80’s com a vinda de Ace Of Spades do Motörhead, com o vocal de Luis. A banda saia de novo e retornava com Carry On, em que Andre sempre fala que se não tocar, ele é linchado! A última mesmo, Painkiller do Judas, encerrando o set, com mais uma explosão fenomenal de fogos. Parabéns Andre, Hugo, Luis e Ricardo por um dos maiores vistos nos últimos tempos.

Fonte: http://www.rockunderground-mag.com/shows2002.html