2003/02/05 – Shaman em Belém/PA

Ginásio Maestro Altino Pimenta – Belém/PA (05/02/03)
Por: Hernando Borges
Fotos: Divulgação – Shaman
Nada melhor para começar um ano do que um evento importante, e assim foi em Belém do Pará! Dia 05 de fevereiro de 2003, o dia do primeiro show do SHAMAN em Belém. Show aguardado há muito por todos os fãs e admiradores da mais virtuosa e bem sucedida banda do Brasil. Boatos e rumores já circulavam pela cidade há meses, tanto que assim que confirmado, os ingressos antecipados esgotaram uma semana antes do show, isto porque não houve nenhum tipo de divulgação do evento pela mídia local.

A recepção não poderia ter sido melhor, ao chegar ao aeroporto, um dia antes do show, a banda já encontrou alguns fãs que a esperavam, e todos foram recompensados com a atenção dos integrantes do SHAMAN.

No mesmo dia a banda tinha marcado em sua agenda, uma tarde de autógrafos em uma loja, o horário combinado seria às 19H00, porém, só teve inicio após às 20H00. Segundo informações, devido a problemas com a bagagem e hospedagem em alguns hotéis, que estavam lotados.
A tarde de autógrafos foi um presente para todos os fãs da cidade. Uma média de 200 a 300 pessoas foi prestigiar a tarde de autógrafos, que não teve nenhuma divulgação. Foi uma verdadeira surpresa e uma pequena prévia do carisma e simpatia de todos da banda com seus fãs.

Então chega o momento do show. Novamente alguns habituais atrasos e mudanças do momento. O Show, marcado para 19H00 com duas bandas de abertura, só teve início após às 22H00 sem as duas bandas, já começando diretamente com o SHAMAN.
O perímetro já estava infestado de fãs, todos com suas camisas negras de bandas e ansiosos para ver o que os esperava no show. As portas do Ginásio, local do show, se abriram às 22H00 e logo a multidão, uma média entre 2000 a 3000 pessoas, se apressa para garantir seu local próximo ao palco. Os roadies já preparavam os equipamentos, dando até uma palhinha da introdução de “Fairy Tale” para aguçar a platéia já preparada para o início do evento.
Até que depois de muita espera as luzes se apagam e entra a primordiosa abertura “Ancient Winds” que faz com que a platéia comece a pular juntamente com o coro organizado: “SHAMAN, SHAMAN…”!

Como uma explosão, a banda entra em palco com “Here I Am” levantando toda a platéia com um som potente e fiel ao que todos esperavam. Hugo, Luis, Ricardo e Fábio começam a metralhar as notas, até que chega a vez de Andre, que ao pisar no palco é aplaudido incansavelmente, esbanjando carisma e brincando com seu pedestal, fazendo malabarismos ritmados com a bateria de Confessori. Então a seqüência começa: ao término de “Here I Am”, logo entra “Distant Thunder” em que Hugo dá um show à parte com sua guitarra, levantando todos do show para prestigiar seus solos magníficos. Em seguida vem a música da primeira demo do SHAMAN, “Time Will Come”, com sua introdução sombria e harmoniosa deixa a platéia em silêncio e pronta para pular, assim que Hugo dispara a primeira nota da guitarra. Logo em seguida Andre saúda a todos presentes, enquanto Fabio e Ricardo começam a introdução de “For Tomorrow”.

Andre então diz à platéia que quer ver o ritmo da Amazônia e logo Hugo dá um show no violão e entra destruindo com sua guitarra. Já era possível escutar alguns gritos de “Carry On”, mas, o show estava apenas começando…
A próxima música é “Wings of Reality”, a faixa de abertura do excelente Fireworks, a platéia canta com Andre, que pede para ser acompanhado várias vezes. Logo em seguida vem um solo de guitarra de Hugo, que esbanja técnica e virtuosismo, interagindo com a platéia, seguido de um instrumental de dar inveja a qualquer um. Continuando o show, entra a memorável “Lisbon” também do álbum Fireworks, talvez o momento mais calmo do show, em que toda a platéia parou para prestigiar o trabalho de cada um da banda para executar esta belíssima música, até o final, em que Andre termina
com agudos de deixar qualquer um surdo.

Depois foi a vez de Ricardo fazer seu solo, mais um momento memorável em que Confessori fazia seus ritmos e brincava com as baquetas, tirando som até mesmo batendo em sua cabeça!
Emendado no solo de Confessori, tem início “Over Your Head”, que levanta novamente todo o público que vai ao delírio na levada pesada de Hugo e nos ritmos de tambores de Confessori.

Ao final da música, Andre termina com apenas sua belíssima voz e seu piano e logo também emenda seu solo, uma mistura de criatividade e partes de Carolina IV do álbum Holy Land. No fim do solo, Andre puxa a introdução de “Fairy Tale”, a faixa mais emblemática do SHAMAN, que faz o público ir ao delírio com a introdução perfeita de Andre e seu teclado. Depois do belíssimo fim de “Fairy Tale”, Andre pergunta se tem alguém na platéia cansado, claro que recebeu milhares de gritos de “não”. Em plena quarta-feira estavam todos prontos para mais horas e horas de SHAMAN.

Após um momento espiritual em que Andre diz a todos para seguirem suas crenças e crer no Metal e em Jesus (inclusive no nosso Jesus Mariutti), Fabio começa os teclados de “Pride” e a banda segue em perfeito uníssono. Andre em seguida pede para ninguém ficar parado, inclusive pede para que caso o colega do lado esteja parado, era para dar alguns “estímulos” a ele, e logo começa “Ritual”, que claro faz o público ferver e tremer o ginásio, com a música título do álbum da banda!

Após uma breve pausa e muitos pedidos de “Carry On”, “Painkiller” e “Nothing to Say”, começa a tocar “Unfinished Allegro” e logo tudo começa a tremer com a agitação da platéia que gritava já fervorosamente pela tão esperada “Carry On”, mas ao mesmo tempo também era o momento que ninguém queria que chegasse, pois seria o anuncio de que a noite já estava para terminar.
“Carry On”, o hino máximo do Metal nacional, impulsiona todos a pularem e cantar junto com Andre.
Já se despedindo de Belém e do povo Parense, Andre anuncia a próxima música, “Living For The Night” de sua primeira banda, o Viper. Andre pede para todos cantarem junto com ele e se impressiona pelo coro formado. Andre continua impressionado com o que escuta, todos cantavam, e pede várias e várias vezes, repetindo mais de três vezes, o refrão para a platéia cantar, e agradece ao final.

O fim então é anunciado, mas logo Andre pergunta o que o público quer, e logo vem: “Painkiller” que faz com que todos gastem suas últimas energias para destruir tudo na última música do show que fez Belém tremer ao som da guitarra eletrizante de Hugo, da batida potente de Ricardo, da metralhadora de notas de Luis, dos teclados envolventes de Fábio, e da voz encantadora e agressiva de Andre. A banda então deixa o palco e promete voltar logo, deixando um público satisfeito e um show inesquecível, marcado na memória de cada um que esteve presente.
Parabéns ao SHAMAN e ao público, que proporcionaram um show inesquecível.

Set List
01. Ancient Wind
02. Here I Am
03. Distant Thunder
04. Time Will Come
05. For Tomorrow
06. Wings of Reality
07. Solo Hugo Mariutti
08. Instrumental
09. Lisbon
10. Solo Ricardo Confessori
11. Over Your Head
12. Solo Andre Matos
13. Fairy Tale
14. Pride
15. Ritual
16. Unfinished Allegro/Carry On
17. Living for the Night
18. Painkiller

One response to “2003/02/05 – Shaman em Belém/PA

  1. caramba, lembro-me como se fosse ontem, Que dia maravilhoso e especial da minha juventude. Lembro que ao final do show subi ao palco junto com boa parte da galera que se amontoava na frente e invadimos o palco para abraçarmos o icone maximo do metal nacional. Tempos que nunca vao voltar, mas que lembrarei eternamente.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s