2003/04/06 – Shaman no Rio de Janeiro

FAN REVIEW ESPECIAL – ATL Hall – Rio de Janeiro/RJ (06/04/03)
Por: Celso Eduardo Scarparo – ShamanOnline / For Tomorrow Shaman Fan Club
Fotos: Celso Eduardo Scarparo – ShamanOnline / For Tomorrow Shaman Fan Club

Após o show de São Paulo e uma noite bem mal dormida, embarcamos com destino ao Rio de Janeiro.
Debaixo de um dilúvio, chegamos na cidade por volta das 19H00, pegamos uma “canoa” e às 20H00 estávamos no ATL Hall, que já comportava um público considerável.
É anunciado o grande momento ao som de “Ancient Winds”. Deixei o posto de venda do merchandising, o qual eu estava trabalhando, para conferir o espetáculo que praticamente não pude presenciar em São Paulo, devido ao imenso trabalho que nos designaram para aquele show.
Integrantes a postos, “Here I Am” denunciava que o show seria um dos melhores de toda a turnê! E não foi diferente, o ATL estava lotado e o público carioca extremamente afinado, impressionava. O show seguiu com “Distant Thunder” que faz o ATL tremer, “For Tomorrow” – essa muito especial para mim – e “Time Will Come” que dispensa comentários.
Nesse momento Andre soltou as primeiras notas de “Silence and Distance” (Angra), mas o delírio não parou por ai. Com um medley muito bem elaborado, emendam com uma das mais aclamadas de todas, “Carolina IV”, um dos melhores temas de Angels Cry, “Time”, e em seguida uma pequena introdução de “Wings of Reality”. Para fechar, a belíssima “Lisbon” que dispensou a presença de Andre nos vocais, tamanho era o coro formado por todos os presentes.
Ai por diante começaram as apresentações individuais. Hugo Mariutti dá uma pequena mostra do porquê foi escolhido para assumir as guitarras do Shaman e demonstra a grande experiência que adquiriu nesses poucos meses de estrada. Quem teve a oportunidade de ver um dos primeiros shows do Shaman, deve se lembrar das performances de Hugo, que mesmo tendo o controle do instrumento, ainda apresentava uma postura de palco um pouco tímida e não muito à vontade. Fato que hoje em dia não se repete mais. Hugo fez uma bela apresentação! Bem à vontade, ele brincou e deixou o público com água na boca ao tocar alguns acordes de “Black Sabbath” e de quebra, inutilizou um dos microfones… (quem estava lá sabe bem do que estou falando).
Sem perder o pique, Luis, Fabio e Ricardo unem-se a Hugo e dão início a uma pequena “Jam”, uma adaptação da já conhecida “Be Free” que acabou perdendo a letra, mas em compensação, ganhou arranjos novos e vem impressionando sempre que é executada! Mas impressionante mesmo é o solo de Confessori que veio em seguida. Na realidade, não foi muito diferente do que ele vem apresentando no decorrer da turnê, mas é aquela típica coisa que sempre nos surpreende, mesmo já tendo visto mais de 20 vezes.
A banda retorna detonando “Over Your Head”, e é nesse momento que a banda começa a receber seus convidados. Completando o solo de “Over Your Head”, Marcus Viana assume o centro do palco com seu violino e integra-se perfeitamente à banda com uma apresentação magnífica. Ao término dessa música é a vez do maestro Andre Matos mostrar seus dotes, brincando de reger uma orquestra com a galera que respondia à altura em seu solo de teclado. Com o controle total do público, Andre inicia “Fairy Tale” trazendo abaixo do que sobrava do ATL Hall e conquistando até mesmo os que não conheciam a banda (como foi o caso de um dos seguranças que estavam à frente do palco, que veio me perguntar: “Essa música é deles?”).
O show segue com “Blind Spell” e “Ritual” (na minha opinião, uma das melhores músicas ao vivo). Nesse momento, muitos já esperavam pelo fim, mas foi aí que as surpresas começaram a ocorrer. Após um pequeno intervalo, ouviu-se a introdução de “To Be” (Virgo). A empolgação era geral e todos aguardavam ansiosamente a entrada da banda, que chegou trazendo outra surpresa, ou melhor, duas, pois além da já anunciada presença de Sascha Paeth, a banda tocou “Crazy Me?” (Virgo).
Novamente no teclado, Andre inicia “Inside” (Avantasia), e adivinhem quem surge… Isso mesmo, agora era a vez de Tobias Sammet dividir o palco em um dueto mais que aguardado – se bem que é irreal chamar aquilo de dueto, já que Sammet e Matos praticamente não cantaram. Simplesmente assistiram a platéia levar a balada do início ao fim.

Dueto mesmo foi realizado com a platéia, que a princípio foi dividida entre “direita” e “esquerda”, em uma disputa muito animada que terminou com um coro uníssono de todos os presentes.
Mas como um show de Metal não é feito só de baladas, todos para o palco novamente, inclusive Paeth e vamos a “Sing of the Cross”, uma das melhores músicas do álbum Avantasia.

-“Vamos orar e louvar a Jesus”!“Pride” vem para encerrar mais de duas horas de show, como se fosse a primeira música.
Já era início da segunda-feira, mas ninguém parecia estar preocupado com isso, nem mesmo a banda, que após alguns minutos, prepara seu retorno ao som de “Unfinished Allegro”. Nem preciso dizer o que ocorreu depois, não é?! Claro que foi “Carry On”!
Mas ainda havia muita coisa pela frente. A banda retorna ao início da carreira de Andre Matos, com “Living for the Night” (Viper). Logo após, uma pequena pausa em que Andre lamenta a impossibilidade da presença de Andi Deris e Michael Weikath (assim como ocorreu no show de São Paulo), mas afirma que o público carioca não ficaria na mão, pois Tobias Sammet sabia cantar a próxima música, “Eagle Fly Free” (Helloween), e olha que sabia mesmo! Havia até quem dissesse que a música tinha ficado melhor na voz de Tobias.
Agora o fim era eminente, Andre diz que era um pena não terem levado toda a “parafernália” utilizada em São Paulo, agradece a todos e afirma que aquele havia sido o melhor show da turnê (e eu assino embaixo, pelo menos aquele eu conseguir assistir…) e que as cenas registradas ali, estarão com certeza no DVD. Mas como encerrar um show com discurso não tem nada a ver:
– O que vocês querem???
Que “PainKiller” que nada! Para fechar, Shaman e todos os seus convidados detonam “Breaking the Law” (Judas Priest) em uma versão que deixaria Rob Halford sem cabelos. Sammet e Matos nos vocais, Fabio nos teclado, Ricardo na bateria, Luís no baixo, Sascha e Hugo nas guitarras e para completar, Marcus Viana arrasando com o seu violino.
Infelizmente não há como descrever o que foi aquilo, somente quem estava presente sabe como foi. Porém se isso serve de consolo aos que não puderam comparecer, até o final do ano devemos ter o DVD. Com certeza a emoção não será a mesma, mas deve servir para matar as “bichas”….
É, o show havia terminado, mas o trabalho não…. a banda nem havia saído do palco e eu já estava de volta ao merchandising, e lá trabalhei até todos saírem. Infelizmente por isso, praticamente não consegui falar com os sócios do Fan Club e do Fórum, porém oportunidades não faltarão.

Mesmo assim, após tudo isso, ainda encontrei alguns sócios do “For Tomorrow FC” que fizeram e entregaram uma bela faixa à banda.
Cenas engraçadas ocorreram antes da entrega definitiva. Mas isso fica a cargo da Rosane, uma das artistas que fez a faixa, se explicar com o Hugo e contar para nó!
Com alguns fãs, fui “bebemorar” o show até às 5 da manhã e de lá, retornamos a São Paulo.
É dispensável dizer que após toda essa maratona, cheguei em casa e hibernei, não é?!
Bom, mas o que não é dispensável é contar alguns relatos que ouvi após o show. Marcus Viana estava impressionado e disse que nunca havia tocado para um público como esse. Além disso, não havia quem não comentasse sobre a energia que havia rolado naquele show.
Parabéns à galera carioca e a todos que viajaram centenas de quilômetros para fazer parte daquilo que foi um verdadeiro “Ritual” do Metal!!!

Clique aqui para ver a galeria de fotos especial – Show ATL Hall – 06 de abril de 2003

* Set-List *
01 – Ancient Winds
02 – Here I Am
03 – Distant Thunder
04 – For Tomorrow
05 – Time Will Come
06 – Medley
* – Silence And Distance
* – Carolina IV
* – Time
* – Wings of Reality
* – Lisbon
07 – Guitar Solo
08 – Instrumental Jam
09 – Drum Solo
10 – Over Your Head – com Marcus Viana
11 – Piano Solo
12 – Fairy Tale – com Marcus Viana
13 – Blind Spell
14 – Ritual
15 – Intro – To Be – Crazy Me? (Virgo) – com Sascha Paeth
16 – Inside (Avantasia) – com Tobias Sammet & Sascha Paeth
17 – Sign Of The Cross (Avantasia) – com Tobias Sammet & Sascha Paeth
18 – Pride – com Tobias Sammet & Sascha Paeth
19 – Unfinished Allegro
20 – Carry On
21 – Living For The Night (Viper)
22 – Eagle Fly Free (Helloween) – com Tobias Sammet & Sascha Paeth
23 – Breaking The Law (Judas Priest) – com Tobias Sammet, Sascha Paeth & Marcus Viana
24 – Lasting Child

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s