2015/06/24 – Andre Matos e seus 30 anos de carreira em Jundiaí

Hey Ya!

Comemorando os 30 anos de carreira, Andre Matos e banda fizeram um grande show na cidade de Jundiaí em junho e, claro, mandamos nosso especialista em heavy metal para contar a você como foi a apresentação. Confira!

Somente 3 dias após de ter visto Andre Matos e Hugo Mariutti, com o Viper, na Virada Cultural, lá estava eu, tendo o prazer de ver essa banda em ação agora em Jundiaí. As músicas desta turnê foram escolhidas pelos fãs por meio de uma votação no site do vocalista, mas acredito que faltaram algumas, algo como uma música de cada banda que o vocalista passou, já que o repertório não possuía nenhuma música do Viper, Virgo ou Symfonia.

Para mim, os fãs perderam uma grande chance de ver um grande repertório como Queen of the Night, Freedom Call ou Born to Be. Não que estivesse ruim, muito pelo contrario, é que os fãs na sua maioria votaram nas músicas mais conhecidas, e muitas estavam na turnê anterior do vocalista. O show fazia parte da comemoração de 1 ano da casa Yellow PubMarine e, por ser uma quarta-feira, teve seu início as 22h30 com Here I Am, do Shaman, seguida de Lisbon, do Angra, cada momento era cantada por todos, com o publico praticamente colado no palco, devido a proximidade.

O show contou também com For Tomorrow, Time Will Come, Fairy Tale, Innocence e Distant Thunder, todas do Shaman. Para as músicas da carreira solo, o show teve somente duas, sendo elas do primeiro disco solo do vocalista: a rápida e melódica Letting Go, com um agudo que só o Andre Matos faz, e a excelente Time to Be Free, uma das grandes surpresas. Esse é um dos casos em que eu acho que os fãs acertaram na escolha.

As outras foram dedicadas em sua época do Angra. Do excelente Holy Land, a pesada Nothing to Say, a progressiva Make Believe e Carolina IV, que possui várias referências. No final desta, Andre disse que errou a parte erudita e que iriam tocá-la novamente, pois os fãs mereciam ouví-la correta. Foi uma oportunidade única poder ouvir duas vezes a mesma música em tão pouco tempo, pois a última vez que eu vi Andre Matos cantando-a foi com o Shaman em abril de 2001, quando a banda fez sua estreia em São Paulo.

O show ainda teve Carry On, Time e Angels Cry (do álbum de mesmo nome) encerrando com chave de ouro o espetáculo. Trinta anos de carreira não é para qualquer um, e neste tempo todo, a história do heavy metal brasileiro muitas vezes se confunde com a história de Andre, desde a época do Viper nos anos oitenta até os dias atuais. E esses 30 anos me faz pensar que estou ficando velho, pois acompanho o vocalista desde 1997, ainda na sua época do Angra.

Fonte: http://www.actionnerds.com.br/cobertura-andre-matos-comemora-30-anos-de-carreira-em-jundiai/