Andre Matos – De Volta A SP – Via Marquês, São Paulo/SP 11/05/2013

Após passar pelos principais palcos do mundo rock/heavy metal e estar prestes a adentrar o maior deles no Rock in Rio, em Setembro, a maior celebridade do metal nacional, principal voz de bandas como Angra, SHAMAN, Viper e Symfonia, Andre Matos, aterrizou em São Paulo com sua The Turn Of The Lights Tour e a celebração dos vinte anos de Angels Cry (Angra) na voz e tom originais.

Por Alessandra Martins para MetalConcerts.net

Com um Via Marquês bastante cheio, a noite começou a ser aquecida pelas bandas King Of Bones, que ultimamente vem acompanhando a turnê de Andre Matos e a banda Madgator.

O King Of Bones fez seu primeiro show em São paulo, mostrando seu repertório autoral. E ainda trouxeram sua própria base de fãs, que cantava todas as suas músicas.Seu primeiro álbum, intitulado “We Are The Law” vem sendo muito bem conceituado pela crítica especializada, promtendo um grande futuro aos músicos.

O Madgator veio na sequência e não empolgou tanto a platéia que esperava ansiosamente pela atração principal da noite, mas digamos que foi um show interessante, com a banda entusiasmada no palco e o vocalista, Andres Recasens visivelmente empolgado e feliz por estar ali.

No público, uma verdadeira constelação de figuras do metal como Juninho Afram (Oficina G3), Rodrigo Oliveira e Marcello Pompeu (Korzus), Bruno Sutter, Fernanda Terra (Kombato/ex-Nervosa), Felipe Machado, Guilherme Martin e Pit Passarell (Viper), Corciolli e vários outros também vieram prestigiar a estréia em grande estilo de Andre Matos.

Já passava um pouco das 22 horas quando ressoava na casa a nova intro “Masked Ball”, da Trilha Sonora do Filme “Eyes Wide Shut” (De Olhos Bem Fechados, em português), de Jocelyn Pook.

Aos primeiros acordes de Liberty, faixa que abre o CD The Turn Of The Lights, o público foi ao delírio!

Com Hugo Mariutti e Andre ‘Zaza’ Hernandes nas guitarras, Bruno Ladislau no baixo, Rodrigo Silveira na bateria e um Andre Matos visivelmente feliz estavam finalmente no palco para a alegria do público.

A intro da segunda música, do segundo CD solo, Mentalize, I Will Return, começou a soar nos PA’s e a galera responde a altura. Frontman, banda e público pareciam um só! E seguem assim até o ritmo do show cair na execução de Fairy Tale, o hino máximo do SHAMAN. Com o público quase em transe, Andre matos atinge notas altíssimas, fidedígnas as encontradas nos seus álbuns ao longo de sua carreira de já quase 30 anos.

Na sequência vem Stop!, também de seu CD novo, Lisbon e mais uma vez o público em transe, cantando um dos maiores clássicos do Angra em uníssono com o vocal original.

Rodrigo Silveira mostra a que veio com um competentíssimo solo de bateria seguido the On Your Own e a premiére da faixa título do mais novo álbum de Andre Matos, The Turn Of The Lights.

Para a presentar a próxima música, o vocalista fez um de seus famosos discursos, muito conhecidos de quem está acostumado a shows dele, como a jornalista que vos escreve. Agradeceu ao seu fiel público repetindo que o estilo que tanto veneramos, não está morto! À todos os que compram os CD’s, os que baixam, os que os defendem na internet, aos amigos e aos inimigos e ainda fez piada, falando que se houvesse algum, que viesse ao palco que ia tomar “porrada”, comentando logo na seqüencia que era muito fácil falar isso com um esquema de segurança como o presente na casa (risos). Disse orgulhoso que era um privilégio ver gerações e gerações à sua frente para ouvir sua música. Falou de como é difícil tocar na cidade natal deles, deixando no ar que a cobrança era muito grande, pois estavam à frente de suas famílias. E dedicou a atemporal Living For The Night ao Via Marquês, seu público e seus parceiros de vida do Viper.

Pausa para recobrar o fôlego e quando voltaram com Unfinished Allegro/Carry On definitvamente a “casa caiu”. Fãs voltaram aos anos 90 e era comovente ver vários amigos, colegas de profissão e desconhecidos claramente emocionados por poderem reviver uma parte de sua adolescência. E continuou assim em toda a execução de Angels Cry.

Com o vocal perfeito, Andre Matos provou mais uma vez a razão de ser chamado Maestro do Metal.

E, à partir de então, as músicas vieram na ordem do álbum “aniversariante”. Os pontos altos, por assim dizer, foram Stand Away, a música identidade do vocalista, sem contar a mais pedida pelos fãs e Wuthering Heights. Sem esquecer de Never Understand.

Com imagens captadas para um futuro DVD, a promessa eterna de Andre Matos, a banda se despede ao som da segunda parte de Lasting Child e deixa uma platéia completamente nostálgica e com gosto de quero mais.

Agradecimentos: Vera Kikuti, Juliana Lorencini e Costábile Salzano Jr.

SETLIST

Masked Ball (intro)
Liberty
I Will Return
Course Of Life
Rio
Fairy Tale
Stop!
Lisbon
Solo de Bateria
On Your Own
The Turn Of The Lights
Living For The Night

Unfinished Allegro
Carry On
Time
Angels Cry
Stand Away
Never Understand
Solos de guitarras
Wuthering Heights
Streets Of Tomorrow
Evil Warning
Lasting Child Pt I – The Parting Worlds
Lasting Child Pt II – Renaissance (outro)

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s