André Matos: Maestro do metal encanta fãs no ABC

andre-matos

“Vocalista apresentou canções de toda sua carreira, além de apresentar na íntegra o álbum Angels Cry, do Angra”

Texto: João Messias Jr.
Fotos: Kátia Bucci

O vocalista André Matos dispensa apresentações. Após participações dignas de respeito nas bandas Viper, Angra, Shaman e participações em trabalhos como Avantasia e Virgo, o cantor vive um momento especial em sua carreira. Depois de realizar nano passado uma tour de comemoração com o Viper e lançar seu terceiro álbum solo, The turn of the Lights, o cantor começou neste ano algo que agradará em cheio os fãs do Angra. André está realizando shows comemorativos dos 20 anos do álbum Angels Cry, em que toca o referido trabalho na íntegra.

E Santo André foi contemplada com duas apresentações, nos dias 21 e 22 de junho e é nesta última data que começa a nossa matéria. As expectativas eram as melhores possíveis, pois como assim em 2009, o teatro do SESC estava com casa cheia e fãs de todas as faixas etárias: desde veteranos (como eu) até adolescentes.

Mas apesar do positivismo, algumas perguntas batiam na minha cabeça: será que a cozinha é tão boa quanto à anterior? E a voz do cantor, a quantas anda?

Felizmente, o início do show, com Liberty, do mais recente trabalho The Turn of the Lights colocou um ponto final em minhas interrogações. A atual formação, que além do vocalista tem os guitarristas André “Zaza” Hernandez e Hugo Mariutti, o baixista Bruno Ladislau, e o baterista Rodrigo Silveira não deve nada em relação ao antigo line up, pois todos são muito seguros e competentes. I Will Return, com seu coral inspirado nos Beatles foi a primeira que agitou pra valer os presentes, assim como Rio ,do seu primeiro disco, Time To Be Free.

A noite estava apenas começando e momentos gloriosos ainda estavam por vir. Um deles foi Fairy Taile, sucesso do primeiro álbum do Shaman, Ritual. Para quem não se lembra, a canção foi sucesso nas emissoras de rádio, sendo inclusive trilha de novela global. Hora de voltar ao presente e Stop, do “Turn” foi dada aos presentes e com ela percebeu-se que o vocalista acertou no direcionamento do novo trabalho, que aposta na cadência da bateria e no feeling das guitarras, que são o chamariz não apenas deste disco, mas de toda a fase solo do vocalista.

Lisbon (Angra) e Living for the Night (Viper) foram dois momentos que levaram muitos a despejarem lágrimas no teatro. A primeira, contou com o vocalista cantando a canção no meio da galera, além de contar com um solo animal de Hugo. Já a segunda, teve seus trechos cantados por todos. No fim, o cantor anuncia que a primeira parte do show chegava ao fim, mas que tinha mais, muito mais.

A hora mais aguardada

Apesar de estar com uma carreira consolidada, não é segredo pra ninguém que muitos fãs sonham com uma volta (ou pelo menos uma tour) da primeira formação do Angra. Mas enquanto as partes não se entendem, André resolveu realizar o sonho de muitos (como eu) que não puderam assistir essa fase da banda: executar o álbum Angels Cry na íntegra, que embora os radicais torçam o nariz, esse foi um trabalho essencial na história do metal brasileiro.

E assim como nos primeiros parágrafos, as dúvidas apareceram na cabeça, mas a execução de Carry On, Time (primeiro vídeo deste trabalho) e Angels Cry mostraram uma banda competente, com destaque para a cozinha, que mostrou fidelidade e personalidade com os arranjos originais e claro, André está com a voz poderosa (talvez em sua melhor fase) e dessa forma, mais uma vez alegrou os presentes.

Never Understand, com seu ritmo de forró, nos remeteu a 1993, quando essa mistura de metal com regionalismo não era bem vinda, apesar de nesta época, grupos como Insanity, Overdose e Sepultura já se beneficiavam dessa exótica mescla. Mas voltando a canção, é incrível que mesmo após 20 anos, ela continua atual.

Só que o melhor de todos os momentos estava por vir: Wuthering Heights. Originalmente gravada por Kate Bush, em 1978, recebeu este tributo da banda, que fez uma versão tão boa quanto a original. Nesse momento, muitos (como eu) ficaram as lágrimas com a interpretação do vocalista. Acredito que onde quer que ela esteja, deve ficaria feliz da vida ao ouvir cerca de 400 pessoas cantando a canção em plenos pulmões.

O final teve Streets of Tomorrow, Evil Warning e Lasting Child, essa executada ao vivo pela primeira vez. Embora competentes, não ofuscaram Wuthering Heights.

Enfim, um grande show de um vocalista que tem muito a mostrar e tomara que volte em breve ao ABC.

Fonte: http://www.undersound.com.br/2013/08/02/andre-matos-maestro-do-metal-encanta-fas-no-abc/

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s