Andre Matos no Roça’n’Roll 2006

27 DE MAIO DE 2006 – FAZENDA ESTRELA – VARGINHA ROCK CITY

por Raphael Wagner
(vocalista e guitarrista da banda Alpha Scorpii)

No dia 27 de Maio, headbangers de todo Brasil esperavam ansiosos por essa data, também essa seria a data de um dos maiores festivais nacionais, o Roça’n Roll, que agora estaria com novo local, estrutura e como sempre ótimas bandas do underground nacional e internacional (sim, internacional!!)  e muitas outras surpresas.

Aproximadamente 13h00 e o sol rachando na cabeça da galera que estavam chegando, parece que São Pedro decidiu poupar o Roça neste ano depois de seus ataques massivos pluviais que resultaram palcos derrubados, ônibus atolados e muita, mas muita lama nos anos passados, e parece que ia tudo ocorrer bem pra essa grande festa. Chegava nas 15h00 e nada tinha começado ainda, nem os portões haviam sido abertos e a galera começava a reclamar do atraso (marcado pra 13h00), acho que um festival desse porte não pode ocorrer um atraso tão longo, mas logo depois a entrada foi liberada e galera chegava loucamente contemplando o novo local que realmente é muito melhor que o Sítio Engrenagem, além de comportar o esperado público o lugar é bem mais a cara do Roça. Os palcos estavam bem posicionados e as barracas de alimentação e venda também sendo possível ver os shows em qualquer canto que esteja, ponto pra produção.

A banda Symbolist abre o Roça, mandando apenas covers de bandas como Arch Enemy, Death, Pantera e Nevermore, destaque para a cozinha de Mateus Domiciano (Bateria) e Odillon Piassa (Baixo), depois foram seguidos de Não Continência com seu Hard Core e Thyldorn com seu Black/Trash divulgando sua primeira Demo ‘’Human’s Faults’’ ambas mandaram muito bem, depois foram as vezes de Stomachal Corrosion e Ars Tenebrae, essa última mandou bala e foi bem aplaudida pela galera que realmente curtiu o som furioso deles. O som estava razoável e poucas bandas conseguiram tirar um bom proveito do som, poucas bandas tinham um técnico para ajudá-las e outras com pouca experiência de palco, mas nada que atrapalhou a curtição dos headbangers do Roça.

A noite já caía e chegava o frio que substituiu São Pedro e atacou a galera, quem tava com uma blusa se fudeu, quem tava com duas se fudeu também, quem tava com três ou mais resistiram batendo os dentes.Evil of the Century continuou a festa com seu Heavy Metal, destaque para o cover de Rebellion do Grave Digger, Black Thornveio em seguida com seu sombrio e sinistro som, depois veio um dos destaque da noite Echoes que também mandaram apenas covers mas foram ‘’os covers’’ e muito bem executados, a galera pirou ao som de Perfect Strangers (Deeo Purple… Dãh), Time (Pink Floyd), Aqualung (Jethro Tull) e Long Live Rock’n Roll (Rainbow) que teve participação do maluco do Leonaldo Oliveira (Lothlöryen) nos vocais. Horus e Lifetimes foram as próximas e foram bem recebidas, ambas mandando um som bem pesado.

A festa realmente estava demais, galera pirando, chapando e as bandas mandando bala, dizem que alguns preferiram o set do ano passado que teve Monster, Tiger Cult, Lothlöryen, Velhas Virgens, mas gosto é gosto e a noite só estava começando. E olha que não estava mesmo? Zarg veio com seu rock progressivo de fazer o queixo cair, mandaram super bem e destaque para o cover do Dream Theater – Finally Free, bela apresentação. E agora chegava a hora de uma das bandas mais a cara do festival do que todas o Lá Vai Pórva mandando seu Rock Caipira muito bem feito e executado, destaque para as músicas ‘’Pão-de-queijo’’, ‘’Boi-da-cara-preta’’ e ‘’Lá vai pórva’’, realmente foi um grande show dessa galera de Três Corações.

E agora diretamente da França, Shadyon sobe no palco do Roça’n Roll mandando seu forte Heavy Metal, a galera estava mais analisando a banda, mas pareceu que curtiram bastante, depois veio a Roça’n Roll Gang a banda do Roça’n Roll, Bruno Maia que estava nas guitarras chamou nada mais e nada menos do André Matos (Shaaman) para cantar Flight of The Icarus (Iron Maiden) e galera foi ao delírio depois mandaram o Hino do Roça ‘’Lá no Roça’n Roll’’ que também teve participação de André Matos. Foi muito bom ter um dos ícones do metal nacional presente no Roça, grande surpresa e provou que o Roça’n Roll é preferido até entre os astros do metal brasileiro. e já do outro lado o Neverknow se preparava pra tocar seu ótimo Gothic Rock, mas infelizmente houve um imprevisto e o vocalista e guitarrista Marco Diniz teve que fazer o show sozinho (isso mesmo sozinho), a banda não pode vir e ele tocou com samples. Foi estranho ver um cara sozinho naquele palco enorme, mas ele fez um puta apresentação tocando maravilhosas musicas de sua autoria, destaque para ‘’Wasteland’’ e ‘’Realising Pain’’ e os covers de ‘’Waste Away’’ do Sisters of Mercy e ‘’Black Nº 1’’ do Type O Negative. Já passa das 3 da manhã e o público estava bem animado para as apresentações que estavam por vir.

Korzus subiu ao palco destruindo tudo, músicas como ‘’What are you looking for’’ e ‘’Guilty Silence’’ fizeram a galera se matar lá embaixo, o som estava muito bom e a banda em excelente performance, destaque para o brutal corredor que fizeram lá que me resultou um maxilar dolorido e pela música ‘’Evil Sight’’ que veio André Matos subir novamente ao palco para cantar junto com Marcello Pompeu, sem dúvida uma das melhores senão a melhor apresentação da noite. Tuatha de Danann era a próxima e galera se amontoava lá embaixo para poder ver a apresentação ‘’acústica’’, que na verdade não achei nada acústico. Apenas as guitarras foram substituídos por violões e bandolins Giovane Gomes estava com seu usual baixo elétrico e Edgar Britto com seus teclados e efeitos, Rodrigo Abreu tocou como se tivesse num show elétrico mandando uma forte pegada, mas mesmo assim não há como reclamar de músicas como ‘’Bella Natura’’, ‘’Land of Youth’’, e as clássicas ‘’Dance of the Little Ones’’ e ‘’Finganfor’’ (que teve participação surpresa do anão Fernandinho) que foram maravilhosamente executadas , ‘’Tan Pin Ga Ra Tan’’ foi um grande destaque e ‘’Oghma’s Rheel’’ a surpresa do show, mas para um show acústico podia ter rolado mais recursos e músicas como ‘’Trova de Danú’’ e a maravilhosa ‘’Celtia’’.

Ratos de Porão subiu ao palco quase 5 da manhã e João Gordo e Cia Mandaram som para um público cansado, mas a galera continuou a prestigiar o Hard Core que estava rolando, destaque para o baixista Juninho que agitava sem parar e rodava o baixo pra todos os lados empolgando a galera sempre, destaque para o clássico ‘’Beber até Morrer’’ que foi especialmente mandada pra o Cocada, o ser mais micróbio de Varginha Rock City e maior atração do Roça’n Roll. Autumn Flowers fecha o festival com seu Gótico bem trabalho e com vocais bem gritados e agonizantes, pena que uma boa parte da galera ter ido embora e deixaram a banda tocando para poucos, porém eles fizeram um bom show, quem sabe na próxima eles possam tocar em um horário melhor, oportunidade é que não falta pra bandas boas como esta.

O Roça’n Roll realmente me surpreendeu este ano, ótimas bandas, local e estrutura fudidas e participações ilustres, com certeza já é um Wacken brasileiro, cuja dito foi pelo editor-chefe da Rodie Crew Airton Diniz, e a galera já está ansiosa para o ano que vem que com certeza vai ser muito melhor. É isso ai galera no Roça o bicho realmente pega e que venha o 9º Roça’n Roll!!!!!!!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s